domingo, 21 de novembro de 2010

Resumo: As 5 lições de Freud

1. O que você compreendeu sobre esses conceitos da Primeira, Segunda, Terceira, Quarta e Quinta Lição de Freud? (escrevendo em suas próprias palavras)


Segundo Freud, nesta 1ª lição os sintomas surgiam a partir de um "trauma psíquico" (experiências emocionais) e tinham ligação com a cena traumática que o causara. Eles surgem a partir da não externalização da emoção sentida perante uma situação. Assim, essa situação se tornará traumática.
Segundo ele a doença se instala porque a emoção desenvolvida nas situações patogências não podiam ser exteriorizadas normalmente. A essência da histeria consistia na atual utilização anormal das emoções "enlatadas". Onde existe um sintoma, existe também uma amnésia, uma lacuna de memória, cujo preenchimento suprime as condições que conduzem á produção do sintoma.
Ao relatar seus estudos com a paciente Anna ele diz que depois de ela falar de suas fantasias sentia-se bem durante algum tempo até entrar em outro estado de ausência ele conta ainda que depois da - cura de conversação – que ele nomeou de "Limpeza de Chaminé": além do afastamento das perturbações psíquicas, os sintomas também desapareciam quando, na hipnose, a paciente recordava das causas que levaram a estes sintomas.
Freud relata que utilizou da hipnose durante um tempo, mas abandonou
pois concluiu que nem todas as pacientes eram passíveis de hipnose. Assim, preferiu deixá-las em estado normal de consciência e incentivá-las a falar tudo que lembravam e sabiam para ligar as cenas patogênicas e os sintomas. Percebeu assim, que as recordações esquecidas jaziam em algum lugar, permanecendo inconscientes e mantidos por resistências.
Freud mostra não acreditar que uma idéia concebida pelo doente com atenção concentrada, fosse inteiramente espontânea, sem nenhuma relação com a representação mental e por ele procurada. Quanto à resistência Freud fala que: “ quanto mais forte for a resistência, maior é a deformação relativa àquilo que se procura e, que se não fosse por ela o esquecimento se tornaria consciente sem deformação.”
Além do estudo relativo às divagações, a interpretação dos sonhos e o estudo dos lapsos e atos casuais servem, também, para se alcançar o inconsciente. Para Freud a interpretação dos sonhos é o meio mais eficiente para se alcançar o inconsciente, é a base mais segura da psicanálise. É campo onde pode por si mesmo chegar a adquirir convicção própria, como maiores aperfeiçoamentos.
Ele falou do sonho assim: nas crianças seria sempre a realização de desejos que o dia anterior lhe trouxe e que ela não satisfez; no adulto tem um conteúdo ininteligível, aparentemente sem nenhuma semelhança com satisfação de desejos, no entanto estes sonhos estão distorcidos, e o processo psíquico correspondente teria originariamente uma expressão verbal muito diversa, concluindo assim que o conteúdo manifesto do sonho é o que se lembra do sonho pela manhã, ou seja, é a descrição do sonho. Sonho manifesto(recordado e descrito): é uma realização velada de desejos recalcados , logo, seriam conflitos
Para o psicanalista não existe nada insignificante, arbitrário ou casual nas manifestações psíquicas.
Vê-se com sua experiência que acontecimentos determinantes no sintoma estão calcados na infância, "só os fatos da infância explicam a sensibilidade dos traumatismos futuros e só com o descobrimento desses restos de lembranças...e com a volta deles á consciência é que adquirimos o poder de afastar os sintomas." Os desejos reprimidos na infância dão força á formação dos sintoma; estes desejos são tomados por sexuais resistências da sociedade em relação á psicanálise.
Para Freud é absolutamente normal e inevitável que a criança faça dos pais o objeto da primeira escolha amorosa. Porém, a libido não permanece fixa neste primeiro objeto: posteriormente o tomará apenas como modelo.
Indivíduos adoecem quando lhes falta na realidade a satisfação das necessidades sexuais através dos sintomas encontram uma satisfação substituta, a resistência á cura: ego se recusa a desfazer recalque e a satisfação não muda sem a certeza de um "objeto melhor" e muitas vezes a busca de solução de alguns desses problemas se faz pela sublimação: processo pelo qual a energia dos desejos infantis não se anulam, mas ao contrário, permanecem utilizáveis, substituindo-se o alvo de algumas tendências por outros mais elevados (socialmente aceitos).

2 . Que associações ou exemplos vieram a sua mente durante a leitura das Cinco Lições de Freud?

Sou negra, sofri preconceito, bullyng no inicio de minha vida escolar, mas isso não foi um problema que prejudicasse meu rendimento, e penso que o papel da família foi essencial... Hoje, com a valorização da diversidade cultural, além de leis que obrigam o respeito às diferenças. Me entristece demais uma ver situações preconceituosas, principalmente  na minha escola. E ao estudar esta disciplina busquei respostas a todo instante.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Postar um comentário